Sinais de que você sofre de um estresse financeiro

contas_atrasadas

 

O estresse financeiro é causado por situações de incerteza econômica e profissional e pode afetar seriamente a saúde de uma pessoa. De maneira geral, o estresse colabora para a baixa no sistema imunológico e pode tornar o corpo propício ao desenvolvimento de doenças diversas, como ansiedade e gastrite.

O aspecto financeiro é central e interfere em todos os setores da vida. Através da renda é possível acessar itens básicos como alimentação, educação, moradia, novas experiências e plano de saúde e odontológico.

Por isso, quando as finanças estão ameaçadas, tudo o mais pode estar em uma situação de vulnerabilidade, situação que gera estresse financeiro. Saiba mais a seguir!

 

O que é estresse financeiro?

 

O estresse financeiro é causado pelas preocupações quanto às suas finanças. Em determinados momentos de incerteza, essa sensação se intensifica e pode levar ao esgotamento físico e psicológico.

As situações que geram estresse financeiro são caracterizadas quando uma pessoa se vê em uma encruzilhada e não sabe como resolver uma grande questão que envolve dinheiro. Alguns exemplos são:

  • demissão inesperada do emprego;
  • torna-se incapaz de trabalhar por um período curto ou a longo prazo;
  • ficar desempregado por bastante tempo e ter dificuldades de encontrar uma recolocação no mercado de trabalho;
  • ver os seus recursos se esgotando e não saber ou ter como repor;
  • precisar realizar um pagamento de forma imediata, como aluguel, prestação de carro, apartamento, entre outros, correndo o risco de ser despejado ou perder o investimento;
  • sofrer com a pressão de não conseguir pagar seus estudos, como mensalidade da faculdade, e correr o risco de interrompê-los;
  • perder recursos e propriedades importantes devido a problemas de vício em jogos e atividades relacionadas etc.

Situações como essas podem ser tão estressantes a ponto de levar pessoas a cometer atos extremos e criar vícios, como álcool, tabaco e outras substâncias. Confira, nos próximos tópicos, alguns dos principais sintomas de estresse financeiro!

 

Como o estresse financeiro pode afetar a sua saúde e qualidade de vida?

 

O estresse financeiro afeta a sua saúde e qualidade de vida, principalmente, por afetar 3 áreas importantes para manter o seu corpo saudável: seu sistema digestivo, sua pressão sanguínea e a resposta hormonal e imunológica.

Quando exposto ao estresse por muito tempo, esses 3 aspectos se combinam para torná-lo vulnerável a uma série de doenças e sintomas físicos, psicológicos e cognitivos. Veja cada um deles a seguir!

 

Sintomas psicológicos

 

Ansiedade e depressão

As perspectivas negativas geradas por situações de escassez financeira podem colaborar para o desenvolvimento ou agravamento de transtornos psicológicos. Assim, doenças como ansiedade e depressão podem surgir e persistir quando o estresse é prolongado.

Apesar de alguma ansiedade e negativismo serem compreensíveis em situações assim, quando persistem por mais de 2 semanas e passam a prejudicar a qualidade de vida, deve-se buscar ajuda profissional, já que podem se agravar ainda mais com o passar do tempo.

Em pessoas que já apresentam ansiedade ou depressão, o estresse financeiro pode representar uma pressão extra que aprofunda o quadro depressivo e as crises de ansiedade. A perspectiva de perder uma propriedade importante ou passar algum tipo de dificuldade quanto à manutenção de itens básicos pode piorar ainda mais as crises de ansiedade.

Crises graves de ansiedade geram problemas de saúde significativos como perda ou ganho de peso, taquicardia, perda de foco e capacidade de concentração, entre outros. Já no caso da depressão, ações extremas como automutilação e pensamentos de suicídio podem se intensificar com a falta de perspectiva financeira e econômica.

A associação entre saúde mental e saúde financeira deve ser pensada de maneira cíclica e intrinsecamente relacionada. Assim, uma saúde mental comprometida leva ao comprometimento das finanças e vice-versa.

 

Irritabilidade e agressividade

Outro sinal marcante que o estresse financeiro causa é a irritabilidade e, em certos casos, a agressividade. A pressão por encontrar alguma maneira de resolver o seu problema financeiro e as possíveis consequências caso não consiga recursos ou uma solução para sua questão pode levar a uma alta irritabilidade.

Nessas situações, pequenos imprevistos e obstáculos, mal-entendidos ou qualquer outra coisa mínima pode desencadear uma grande irritação e até atitudes agressivas. A capacidade de manter o sangue frio em situações difíceis ou empecilhos pequenos se reduz consideravelmente, o que contribui para o envolvimento em conflitos com familiares, amigos e colegas.

No caso de prolongamento desses sintomas, os relacionamentos mais íntimos, com filhos e parceiros, pode ser afetado por comportamentos de raiva e irritabilidade e prejudicado.

 

Sintomas cognitivos

Dificuldade de manter a concentração e foco em suas atividades

 

Um sinal evidente do estresse financeiro é a dificuldade de se manter focado em suas atividades, sejam profissionais, estudantis ou domésticas, por muito tempo. Assim, coisas que eram feitas com facilidade e excelência podem passar por um declínio. Um indício claro é quando a pessoa passa a cometer erros em atividades simples e estes erros se tornam frequentes.

A falta de atenção provocada pelo estresse pode ser agravada quando combinada a outros fatores, como a ansiedade e a depressão. Por isso, o estresse financeiro prolongado é como uma bola de neve em que os problemas financeiros se agravam e levam junto todos os demais aspectos da vida.

 

Sintomas físicos

 

Baixa no sistema imunológico

Diversos estudos comprovam a relação entre o estresse e a baixa no sistema imunológico. Isso significa que pessoas que são submetidas a situações estressantes de maneira prolongada tendem a adoecer mais facilmente.

O estresse faz com que a resposta imune do organismo seja reduzida, tornando-o mais suscetível a infecções e doenças. O sistema nervoso e o digestivo são os mais afetados pelo estresse. Além disso, pessoas estressadas também sofrem com resfriados e gripes com maior frequência.

 

Dores de cabeça

Se as dores de cabeça se tornaram um problema frequente para você, especialmente no final do dia, você pode estar sujeito a situações muito estressantes. A enxaqueca é um sintoma muito comum do estresse e vem associada às dores nos olhos e outros desconfortos.

A dor de cabeça pode estar associada ao desequilíbrio dos hormônios do estresse, como os corticoides. Por isso, após um dia inteiro de atividades, pressão e preocupação, a enxaqueca pode dar as caras.

 

Problemas com o sono

A dificuldade para dormir tranquilo e conseguir descansar é um indício importante do estresse financeiro. O desequilíbrio hormonal causado pelo estresse torna difícil adormecer a noite e atingir a qualidade de sono necessária.

A insônia pode aparecer após dias estressantes e se tornar uma companheira noturna frequente. Para evitar que o estresse prejudique a qualidade do sono, alguns hábitos de relaxamento, como meditação, podem ajudar.

 

Quais estratégias podem ser adotadas para diminuir o estresse financeiro?

Como visto, os prejuízos que o estresse financeiro podem causar fazem esse aspecto se tornar uma questão séria a ser resolvida.

Para isto, existem algumas estratégias que podem aumentar a sensação de controle e aumentar o seu empoderamento financeiro, mesmo frente às situações de incerteza. Confira!

 

Organize o seu orçamento

O estresse financeiro pode vir da sensação de falta de saída das dívidas e problemas que você está enfrentando. Quanto mais os problemas financeiros ficam nebulosos, maior será o estresse experimentado.

Por isso, tenha coragem para organizar o seu orçamento de maneira realista. Analise toda a sua renda e todas as suas despesas para identificar oportunidades de cortes. Tenha clareza sobre quais são os gastos básicos que devem ser priorizados e de quanto dinheiro você precisa para manter a sua qualidade de vida atual.

Os demais gastos, sobretudo aqueles pequenos, devem ser cortados. Outra maneira é repensar seus hábitos financeiros para encontrar alternativas mais baratas.

Lembre-se! Ainda que o problema financeiro em questão pareça grande demais para ser resolvido a partir de pequenas ações, é necessário otimizar suas finanças e se manter sob controle para afastar a sensação de vulnerabilidade e estresse.

 

Análise o seu crédito

Saber quais são os recursos financeiros com os quais você pode contar também contribui para aumentar a sensação de poder e controle sobre as suas finanças. Por isso, avalie todas as contas e produtos bancários que você possui, seu score e histórico de crédito para descobrir se pode recorrer a empréstimos, por exemplo, em caso de necessidade.

Caso o seu histórico de crédito não seja tão bom, analise maneiras de recuperá-lo. A negociação de dívidas é sempre o primeiro passo em busca da melhoria do seu score. Para entender melhor essa dinâmica, reveja o ciclo das suas dívidas para entender qual é a melhor estratégia para se livrar delas.

O gerenciamento do estresse financeiro deve ser levado a sério. A cada estratégia adotada e decisão feita, o estresse pode ser diminuído um pouco mais. Por isso, faça da gestão financeira um hábito e mantenha clareza absoluta sobre todo o seu dinheiro. Esses hábitos ajudam a diminuir e afastar o estresse em longo prazo.

Agora que você já sabe o que é estresse financeiro, está familiarizado com alguns dos seus principais sintomas e conhece algumas estratégias para diminuir a maneira como este tipo de estresse afeta a sua vida, que tal acessar o nosso site para solicitar um empréstimo?

Solicite, agora, de forma online e consiga o valor que precisa sem burocracias!