Educação Financeira: 9 Passos Para Melhorar Sua Vida

Cofrinho Poupança

As coisas poderiam estar muito diferentes no Brasil se as pessoas tivessem acesso à educação financeira desde cedo. A boa notícia é que nunca é tarde para se aprender a lidar melhor com o dinheiro.

Educação financeira é aprender a administrar melhor seu dinheiro, de forma saudável, fazendo com o que ele deixe de ser um problema na sua vida e passe a ser a solução.

Com o conhecimento adequado sobre finanças, você será capaz de tomar decisões financeiras de forma consciente e pensando a longo prazo, alcançando maior estabilidade e tranquilidade na sua vida.

Nesse artigo, vamos descobrir o passo a passo para aprender e aplicar as melhores técnicas para sair do vermelho e entrar de vez em uma vida próspera e feliz.

 

1 - Aprenda sobre educação financeira

 

O primeiro passo você já está dando ao ler este artigo. Para aprender a lidar com o dinheiro, não é preciso ser rico.

Afinal, o que é ser rico? O que é ter independência financeira?

Não existe uma resposta única para essas perguntas. Cada um deve buscar os seus objetivos e metas. Deve saber aonde quer chegar daqui uns anos. E o que é capaz de abrir mão para alcançar esses objetivos.

Estude sobre educação financeira e não seja mais escravo do dinheiro, faça com ele trabalhe por você.

 

2 - Entenda sua situação financeira atual

 

O próximo passo para mudar sua vida financeira é saber como estão suas finanças atualmente.

Você pode até achar que tem a resposta na ponta da língua, mas pode haver muitos gastos que você está deixando de fora e que fazem a diferença no fim do mês.

Para fazer o controle financeiro seu e de sua família, anote todos os valores que vocês recebem por mês e tudo que vocês gastam.

Leve em consideração todas as fontes de receitas, desde os salários até outras rendas secundárias que vocês possam ter.

Anote também tudo que vocês gastam. Comece pelos gastos fixos, ou seja, aquelas despesas que você tem todos os meses como aluguel, luz, água, mensalidades escolares, dentre outros.

Durante o mês, anotem os gastos do dia a dia como mercado, lanches, combustível, passagens de ônibus etc. Para isso, você pode utilizar o seu celular ou mesmo um caderninho, algo que seja prático para você não esquecer de anotar nada.

Quando você coloca no papel tudo o que gasta, é possível ver por onde está saindo seu dinheiro. Muitas vezes, gastamos valores consideráveis em coisas que nem percebemos.

Aquele pão de queijo todo dia no meio da tarde ou a cervejinha no fim do expediente podem parecer tão baratos, mas somados no fim do mês ou mesmo ao longo de um ano, podem ser o que está te separando de uma vida sem dívidas.

Para facilitar, separe as despesas por categorias, para saber onde está havendo mais gastos. Um exemplo de classificação seria: itens de uso pessoal, alimentação, educação, saúde e lazer. As categorias podem variar conforme seu estilo de vida.

 

3 - Corte gastos supérfluos

 

Agora que você já sabe onde está gastando o seu dinheiro, é mais fácil saber onde é possível cortar ou diminuir despesas.

Agir com base na educação financeira, não significa cortar todo e qualquer prazer da sua vida. O quanto você vai cortar depende de como andam suas contas e de quais são os seus sonhos e objetivos.

Se você está no vermelho e com dívidas. Deve-se, sim, cortar o máximo de supérfluos possíveis. Depois que você se organizar financeiramente e as coisas melhorarem, pode se dar alguns luxos, mas sem perder a medida, ou você voltará para o vermelho.

A regra é sempre gastar conscientemente. Defina prioridades e se atenha ao seu plano. Saiba o que te faz verdadeiramente feliz. Não gaste só por gastar.

Gastar com consciência é sempre se perguntar antes de comprar qualquer coisa: eu realmente preciso disso?

Muitas vezes, é necessário abrir mão de certos prazeres para se ter um futuro mais confortável.

 

4 - Educação financeira precisa de objetivos

 

Tenha em mente seus sonhos e metas. É mais fácil não comprar aquele sapato se você souber por que está se privando disso. Mantenha os olhos no objetivo final.

É recomendável que se tenha metas de médio prazo, como comprar um carro ou dar entrada em um imóvel, e metas de longo prazo, como ter uma vida confortável na velhice.

 

5 - Educação financeira é para toda sua família

 

A educação financeira deve ser partilhada com todos os membros. Todos devem entender os motivos e devem se conscientizar sobre como gastar o dinheiro de forma consciente. Precisam entender o que é necessário fazer para que todos melhorem de vida junto.

 

6 - Quite suas dívidas

 

Se você está com dívidas no momento, é importante tentar equilibrá-las de modo a se encaixar no seu orçamento.

Antes de mais nada, faça um levantamento de tudo o que você deve. Descubra quanto precisaria para quitar suas dívidas hoje.

Com esses dados em mãos, pode ser interessante fazer um financiamento único com taxas menores que caibam no seu orçamento mensal. Assim, aos poucos, você vai acabando com suas dívidas.

Pode ser que em um primeiro momento, você alongue os prazos de pagamento, para diminuir o valor mensal. É melhor fazer isso do que deixar de pagar parcelas. Com o tempo, conforme for melhorando sua situação financeira, você pode tentar renegociar valores ou até mesmo quitar parcelas adiantado.

 

Economizar Dinheiro

 

7 - Busque formas de aumentar sua renda mensal

 

Eu sei que não é tão fácil aumentar a renda mensal, mas com planejamento e vontade, é possível.

 

7.1 - Renda extra

 

Depois que você diminuiu os gastos supérfluos, pense na possibilidade de buscar formas para se ter uma renda extra.

Você pode trabalhar como motorista de aplicativo algumas horas por dia ou aos finais de semana. Atuar como entregador. Trabalhar com marketing digital. Fazer doces para vender no trabalho. Revender produtos como cosméticos ou roupas. Hoje em dia, as opções são muitas.

 

7.2 - Qualificação profissional

 

Outra forma muito interessante de aumentar sua renda mensal, é investindo em conhecimento e qualificação profissional.

Investir em educação pode ser algo que lhe traga mais renda no futuro. Se qualificar melhor na sua profissão ou buscar aprender sobre novos mercados pode ser uma saída interessante.

 

8 - Junte dinheiro

 

Adquira o hábito de guardar dinheiro todos os meses. O quanto você pode, de acordo com seu poder aquisitivo. Se você pode guardar R$ 50,00 por mês na poupança, o faça. Não espere chegar no fim do mês para ver o que sobra. Separe o valor a ser investido assim que receber seu salário.

Quando puder, aumente o aporte mensal. Em longo prazo, aquele dinheiro que parece pouco, vai aumentando.

Separe o dinheiro para reserva de emergência e o dinheiro que você está juntando para realizar seus sonhos.

 

9 - Construa o hábito

 

Nada do que falamos aqui será implementado do dia para a noite na sua vida. No começo, a educação financeira pode parecer chata e sem sentido. Mas o hábito se constrói com o tempo.

Esforce-se para fazer da maneira correta desde o início pois a repetição tornará aquilo um hábito onde você vai fazer sem nem perceber e logo começará a colher os frutos da sua dedicação.

Muitas pessoas desistem da educação financeira porque os seus frutos demoram a aparecer. Não basta começar hoje e achar que mês que vem você estará nadando em dinheiro.

É uma mudança lenta, mas que, se bem feita, trará resultados para toda a sua vida e até mesmo de futuras gerações de sua família que sempre passarão os ensinamentos de educação financeira para os filhos.

Conte com a gente para uma vida mais tranquila com empréstimo pessoal com ótimas taxas.