9 metas financeiras para você utilizar na sua rotina

 

Para a maioria das pessoas é muito difícil alcançar alguns de seus objetivos. E isso acontece porque elas não têm metas financeiras que sejam bastante claras.

Mesmo que seja comum observarmos as pessoas planejando o futuro e criando objetivos e metas para serem cumpridos, boa parte delas falha durante a execução. E por que tudo isso acontece? A resposta é muito simples: elas não estipularam as metas financeiras certas.

Sendo assim, para evitar que você passe por esse tipo de problema, nesse post iremos indicar algumas metas financeiras para a sua rotina que irão ajudar você na criação de um planejamento financeiro. Leia e compartilhe!

 

Metas financeiras: por que precisamos delas?

 

A meta financeira é tudo aquilo que se estipula em um planejamento financeiro para ter foco na conquista de objetivos. Vamos a um exemplo: se você determinar que a partir deste mês irá poupar um 5% do seu salário, você estipulou uma meta financeira.

É muito importante ter um bom plano financeiro que tenha objetivos e metas muito claros. Viver a vida sem metas financeiras que irão ajudar você a viver com mais tranquilidade pode se tornar um grande problema para o futuro.

Isso porque muitos acabam se endividando e outros acabam especulando, achando que estão investindo, mas acabam com prejuízos enormes.

Tudo isso quer dizer que sem criar metas financeiras, a probabilidade de errar muito no que se refere às suas finanças é enorme. Você poderá perder o controle completo de suas finanças se não tomar esse cuidado.

Sendo assim, sempre estabeleça metas que irão te auxiliar a chegar aonde você quer e conquistar os seus objetivos de vida.

A seguir, iremos destacar algumas metas financeiras que você pode usar a sua rotina.

 

1. Crie sua reserva de emergência

 

Essa é uma meta financeira muito importante. Por isso ela foi citada na primeira posição. Você precisa ter uma reserva de emergência que corresponda de três a 12 vezes a média do valor de seu custo de vida por mês. Ela serve para que caso aconteça alguma adversidade (demissão, por exemplo) você tenha como se manter por um tempo.

Aquilo que determinará o total a ser multiplicado para compor sua reserva de emergência é a estabilidade que você tenha atualmente.

Caso seja autônomo, é muito provável que você não tenha uma previsibilidade de quanto é sua renda mensal. Nesse exemplo, multiplique seu custo de vida por mês por 12 vezes para que se garanta um ano da cobertura de suas despesas.

É preciso que você entenda a sua necessidade para estabelecer a reserva de emergência como um seguro pessoal. Sem ela, você vai ficar à mercê de imprevistos. Dessa forma, escolha um ativo pós-fixado que tenha liquidez diária e aplique parte de seu dinheiro nele para ter sua reserva.

 

2. Saiba para onde vai seu dinheiro

 

Tenha um bloco de anotações, uma planilha, um caderno ou agenda e anote toda movimentação financeira que você fizer. Este é um hábito muito simples e pequeno que permitirá que você descubra para onde está indo o seu dinheiro.

Se você não souber essa informação, também não terá capacidade para dizer como está usando o seu dinheiro. Entender como você o usa é um grande passo para entender se suas atitudes estão de acordo com suas metas financeiras.

Muita gente diz que não consegue guardar dinheiro, pois se queixam que sua renda é insuficiente. Mas em geral, elas sequer sabem quais são os principais gastos mensais que possuem.

Gastos pequenos, mas constantes, são um perigo para as metas financeiras. Isso porque somadas no período de um mês, elas geram um grande impacto nos gastos. Mas quando você anota todos eles, será capaz de sempre avaliar se suas atitudes estão de acordo com seus objetivos.

 

3. Elabore um plano detalhado para viver de renda

 

Viver de renda é o sonho de dez entre dez brasileiros. A busca por independência financeira deveria ser uma das primeiras metas financeiras. No entanto, existem pessoas que ainda desejam contar com o que vai ganhar da Previdência quando puderem se aposentar.

No entanto, a realidade brasileira quanto a isso não é nada promissora. É preciso entender que não há como depender do Estado brasileiro para que se tenha uma vida tranquila, sem precisar trabalhar no futuro.

No entanto, com um bom planejamento, é possível viver de renda e até mesmo parar de trabalhar antes do tempo que você imaginava. No entanto, isso irá depender do quanto de esforço você pretende aplicar para conquistar esse objetivo.

Tenha em mente que isso não é rápido e muito menos é fácil. No entanto, com muito foco e persistência, além de usar as ferramentas corretas, é possível sim alcançar esse objetivo. Só é preciso elaborar um plano e segui-lo à risca.

 

4. Defina por escrito os seus objetivos financeiros

 

Esta meta financeira é muito importante para colocar as três anteriores em prática. É preciso que você defina quais são suas metas e seus objetivos financeiros por escrito. Não tente guardar tudo isso na cabeça. Escrever é formalizar tudo, como em um contrato com você mesmo.

Quando for defini-los, não se esqueça de ser o mais objetivo que puder, estabelecendo até mesmo datas para as suas conquistas, além de quanto vai precisar para realizar um por um. Lembre-se: é você quem determina o que deseja conquistar.

Passe para o papel ou para o computador todos os objetivos e metas que tiver, pois assim as chances de que eles sejam executados é enorme.

 

5. Invista 15% de sua renda mensal

 

Mesmo que você já tenha uma reserva de emergência e dinheiro suficiente para ser poupado, é preciso guardar mais se desejar conquistar a independência financeira.

Sendo assim, o ideal é conseguir investir 15% de sua receita mensal. No entanto, esta é uma tarefa bastante difícil, pois requer disciplina. Pode acontecer, por exemplo, de todo mês você precisar abrir mão de algumas coisas que quer para aplicar as quantias todos os meses.

No entanto, se você não investe uma parte do que costuma ganhar, é quase impossível conquistar o nível da independência financeira. Isso porque você gastará tudo o que recebe, não guardando dinheiro para o futuro. Assim, você pode ter que depender da aposentadoria pública e não ter como sobreviver na velhice.

Guardar dinheiro é um hábito muito difícil para a grande maioria dos brasileiros. Por isso, talvez você deva começar com calma, com pouco dinheiro para guardar. Invista 5%, depois passe para 10%, 12% e, sem perceber, logo você chegará aos 15%.

 

6. Saiba qual é o seu perfil de investidor

 

É fundamental descobrir qual seu perfil de investidor, para saber escolher quais ativos você deve investir ou não. Para isso, é preciso se conhecer bem e entender como é o seu comportamento perante algumas situações que envolvem risco.

Dessa forma, você entende quanto risco você tem disposição de correr e quanto de volatilidade consegue tolerar. Somente assim você vai entender qual o tipo de investimento pode ser ideal para você.

Os perfis de investidor são:

- Conservador: pessoas que não estão dispostas a correr risco. O investimento ideal para elas é os de renda fixa;

- Moderado: pessoas que não desejam correr muito risco, mas que toleram se aventurar em algo diferente. O investimento pode ser de renda fixa, mas se aventura também na renda variável um pouco;

- Arrojado/agressivo: pessoas que não têm medo de arriscar seu dinheiro em qualquer investimento. A renda variável é o seu ideal de investimento.

 

7. Abra uma conta em uma corretora

 

Muitas corretoras são capazes de oferecer mais retorno financeiro do que a rede bancária tradicional. Por isso, se você deseja fazer seu dinheiro render, precisa abrir uma conta em uma corretora.

Nelas, você encontrará diversas aplicações rentáveis, com taxas de corretagem e administração muito melhores do que as que as instituições bancárias oferecem. Algumas sequer cobram essas coisas.

 

8. Entenda o mercado financeiro

 

Para quem deseja lucrar através de investimento – principalmente em renda variada – precisa entender como funciona o mercado financeiro. Não há como conseguir lucrar sem entender como ele funciona.

O mercado financeiro tem regras definidas e players que tentam sempre vencer. Por isso é tão importante adquirir o conhecimento sobre ele antes de começar a participar do jogo.

 

9. Separe os investimentos de longo prazo

 

Muita gente aconselha que não se deve deixar os investimentos todos em uma mesma corretora. Por isso, separe aqueles investimentos para objetivos de longo prazo em corretoras diferentes. Isso ajuda você a ter uma visão clara do que deseja conquistar.

Além disso, essa prática ajuda você a ter uma divisão que permita realizar um balanceamento de sua carteira de investimentos sempre que for mais lucrativo, de forma que não prejudique o cumprimento de prazos.

Isso ajuda ainda a evitar que você acabe se deixando levar pelo viés emocional, por exemplo, e acabe mexendo indevidamente em seus ativos.

Gostou desse artigo? Agora que você já tem dicas de metas financeiras para usar em sua rotina, visite o nosso site. Faça um cadastro e solicite nosso empréstimo online. Se você precisa de dinheiro rápido, clique aqui e peça já!