Calcular juros compostos

Os juros são aplicados em alguns tipos de transações financeiras. Por um lado, são o "retorno", com o devido acréscimo, de um empréstimo feito por uma pessoa física ou jurídica que aplicou o dinheiro. Do outro, o lado do devedor, pode representar uma das maiores dores de cabeça quando não for bem planejado...

Existem duas categorias de juros: o simples e o composto. Normalmente não ficam explícitas na hora de fechar o contrato de empréstimo, passando despercebidas pelo devedor... Aprender a reconhecê-las é a "chave de ouro" para você gerir melhor o seu dinheiro!

Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre taxas de juros e, claro, como calcular o "bicho de sete cabeças" dos juros compostos. Vamos lá?!

 

Entenda a diferença entre juros simples e compostos

Os juros simples são um valor constante que é aplicado sobre o capital inicial e possui a mesma taxa durante todo o período do empréstimo. Geralmente, é usado para empréstimos de curto prazo, cujo tempo varia em cada instituição financeira.

Já os juros compostos são aplicados sobre o capital atual e não sobre o valor inicial. Isto significa que ele é variável, aumentando o valor da sua taxa pela instituição credora em determinado período de tempo. Os juros compostos geralmente são usados em transações financeiras de médio e longo prazo.

 

Aprenda agora a calcular os juros compostos

Diferentemente dos juros simples, o composto é variável conforme o tempo passa. Dessa forma, eleva-se o "parâmetro tempo" na fórmula de cálculo do montante do empréstimo. Vejamos como isto se dá matematicamente!

Para descobrir os juros compostos aplicamos primeiro a seguinte equação:

M = C x (1+ i)t

Onde (M) é o montante, (C) é o capital inicial, (i) é a taxa de juros e (t) é o tempo (normalmente em anos). Com essa fórmula, descobrimos o valor total do pagamento do empréstimo.

Vamos supor que emprestou R$ 1.000 por 1 ano a uma taxa de 10%, temos que M = 1.000 x (1 + 0,1)1 = 1.000 x 1,1 = R$ 1.100. Se o empréstimo foi por 3 anos, teremos que M = 1.000 x (1 + 0,1)3 = 1.000 x 1,331 = R$ 1.331.

Para descobrir o valor total dos juros (J), deve-se subtrair do montante resultante (M) o capital inicial aplicado (C), ou seja, M - C = J. No nosso caso específico teremos então que: J = 1.331 - 1.000 = R$ 331. Certo?

Este é o valor que você deverá pagar de juros para este empréstimo de 3 anos que é um prazo não tão longo assim... Imagine os empréstimos imobiliários que chegam a ter prazos de 15, 20 ou até mesmo 25 anos!

Agora, tente você mesmo descobrir quanto pagaria por este mesmo empréstimo se os juros aplicados fossem simples. Observe que esta diferença será tanto maior quanto mais longo for o tempo do empréstimo...

 

Aprender a calcular e diferenciar os juros simples e compostos, é a única forma para entender como encontrar o melhor empréstimo para você!

 

Sempre considere o Custo Efetivo Total

Mesmo sabendo o valor exato dos juros aplicados na operação de empréstimo, tenha em mente que este ainda vai variar significativamente devido a outras taxas cobradas pela própria instituição financeira e pelo governo. É o que chamamos de Custo Efetivo Total (CET).

O CET, portanto, é a soma dos juros mais as tarifas de serviço, seguros, Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e outros tributos. DICA: ele pode ser apresentado como uma porcentagem do valor total no contrato.

Quando "mascarado", nunca deixe de exigir sua abertura porque é necessário olhar o valor de cada taxa cobrada dentro do CET e não apenas a taxa de juros. Pode haver uma ou mais tarifas escondidas ali que você pode reduzir ou até mesmo eliminar!

Aprender a calcular e diferenciar os juros simples e compostos, é a única forma de encontrar o melhor empréstimo ou investimento a fazer! Observe que nem sempre as pessoas física e jurídica têm o mesmo tratamento.

Trocando em miúdos: sempre busque a melhor condição de acordo com a sua situação econômica naquele momento e num prazo que seja o mais adequado para o seu bolso. Via de regra é aquele que não aperta o seu orçamento...

Por fim, tenha sempre em mente que, enquanto as taxas de juros podem parecer baixo, quando aplicados a longo períodos, podem acumular bastante. Por isso é importante sempre procurar menores parcelas, mas sempre dentro do seu orçamento. Sabendo calcular os juros compostos ajuda saber quanto irá pagar e não ter surpresas depois. Esta equação pode e deve ser boa para os dois lados!

 Nos avalie! Avalie nosso chat para nos ajudar a melhorar nosso atendimento +