Oito dicas para parar compras por impulso

Compras por impulso

Compras por impulso: felicidade momentânea e problemas em casa.

Mesmo que você seja muito cuidadoso com seu dinheiro, as vezes é impossível resistir ao impulso de comprar. O problema é que a maioria das vezes compramos coisas que não estão com um preço muito bom ou não são tão essenciais quanto achamos que são. Leia abaixo algumas de nossas dicas para evitar essas temidas compras desnecessárias.

 

1. Ignore o desconto que aparece na etiqueta. Foque no VERDADEIRO custo

Não deixe que promoções e descontos te ceguem. Uma pechincha só é uma pechincha se você realmente precisa daquele item. Tente pensar de forma prática sobre o custo dos produtos antes de comprar. Quantos dias você teria que trabalhar para poder comprar aquela TV nova? Esse dinheiro não deveria ser usado para pagar aquela conta que vence daqui alguns dias?

Ao pensarmos em roupas, calçados ou acessórios, uma outra forma de raciocinar é tentar calcular quantas vezes você usará aquela peça e quanto custará cada vez. Claro, aquele agasalho maravilhoso daquela marca da moda que custa R$1000 vai ficar lindo em você, mas quantas vezes ao ano você o usará aqui no Brasil? Mesmo que tenhamos um inverno super rigoroso e você o vista umas 50 vezes, isso significa que você pagou R$20 para cada vez que o colocou no corpo.

 

2. Vá para casa, durma, pense um pouco mais. E depois pense mais ainda.

Ao ver algo que você simplesmente precisa ter, dê um jeito de ir para casa e pensar melhor. Pense por uma semana ou mais antes de tomar a decisão de gastar seu dinheiro. E se mesmo depois de um mês você ainda precisar comprar aquela coisa, ai tudo bem. Mas provavelmente depois de pesquisar melhor, você descobrirá que aquela promoção não era tão boa assim, ou que você de fato não precisava mesmo daquilo.

 

3. Estressado? Chateado? Não afogue suas mágoas com compras.

É muito comum achar que comprar por impulso aquele item caro nos trará felicidade. Acontece que essa será uma recompensa vazia e quase sempre um caminho sem volta. Quando você gasta seu dinheiro para se desestressar, o que de fato acontece é que você ficará ainda mais estressado quando chegar a fatura do cartão. Não caia nessa.

Não é possível consertar sentimentos negativos com ações negativas. Fuja dessa armadilha! O melhor a fazer é tentar aliviar o estresse ou a tristeza com ações positivas ou construtivas. Ou pelo mesmo se faça um mimo com alguma coisa bem baratinha!

 

4. Opte por comprar online

Parece não fazer muito sentido quando você está tentando frear seu impulso de comprar, mas compras online podem te ajudar a gastar menos. Você já está online, então dê uma boa pesquisada e encontre um preço mais baixo. Quantas vezes você já deixou de comprar alguma coisa depois de ler os comentários negativos de outras pessoas sobre aquele item? Por outro lado, se você estiver em uma loja, ninguém te dirá que aquele produto não vale a pena.

Outra coisa ótima de sites de compras online é que o valor total que você está prestes a gastar fica aparecendo logo ali na sua frente. Não há surpresas desagradáveis na hora de pagar no caixa.

 

5. Não faça compras com má influências

Seus amigos são seus amigos porque vocês têm muito em comum, agora se uma dessas coisas for que vocês sempre fazem compras e depois se enrolam para pagar, NÃO FAÇAM compras juntos então. Se estiver pensando se deve ou não comprar aquele par de sapatos - que se parece muito com um outro que você já tem -, você precisa de um amigo que te diga NÃO e não de alguém que também esteja procurando por um par que sirva nos pés dele. Alguém tem que ter a cabeça no lugar e vamos concordar que esse alguém não é você!

O mesmo serve na hora de tentar acompanhar aqueles amigos que estão em uma situação financeira melhor do que a sua, não é porque eles têm dinheiro para gastar que você também tem.

 

6. Pague em dinheiro

É mais difícil aceitar uma compra desnecessária quando você literalmente vê o dinheiro desaparecer de suas mãos. Isso ajuda bastante e faz com que você pense duas vezes antes de gastar.

 

7. Defina uma quantia para seus mimos

É realmente muito chato controlar suas finanças se você não fizer um agradinho para você mesmo de vez em quando. Separe uma fatia de seu orçamento mensal para se presentear quando você conseguir cumpriu o que havia planejado.

Pode ser um delivery uma vez por semana ou sair para jantar uma vez por mês, por exemplo. Ou talvez uma roupa nova no dia do pagamento, ou até mesmo uma pequena mesada para gastar com o que achar melhor. Quando o assunto é dinheiro, a cenourinha é tão útil quando a vara que a segura!

 

8. Guarde o dinheiro que você economizou para provar que seu esforço está valendo a pena

Tente separar, por alguns meses, aquela quantia que você deixou de gastar por impulso. Não encoste nela, guarde-a em algum lugar especial. Depois de uns dois ou três meses, olhe lá novamente, veja o quando você acumulou e deixe sua imaginação voar livre!

Quanto você teria se esperasse um ano? O suficiente para pagar uma viagem de férias? Financiar um carro? Se você tivesse começado há mais tempo, já teria o suficiente para dar entrada em um imóvel?

Agora, coloque esse dinheiro para rodar. Gaste-o em algo positivo, algo que melhorará sua vida. Ou coloque na poupança e use-o em caso de emergências. Ou ainda, gaste com algo bobo, como um último respiro daquela pessoa irresponsável que você costumava ser!

Se você seguir essas dicas, você provavelmente aprenderá a usar seu dinheiro com mais juízo. Passe essas dicas para frente e ajude seus amigos a colocarem as finanças deles em ordem também.