Como guardar dinheiro em tempos de crise?

Homem com cofrinho

 

Cuidar das nossas finanças é sempre um desafio. E, saber como guardar dinheiro em tempos de crise torna-se ainda mais importante, visto que épocas de dificuldade requerem a adoção de novos métodos e hábitos para não passar nenhum tipo de aperto.

Infelizmente, a educação financeira não é um hábito do brasileiro. Segundo um levantamento realizado pelo Ibope, em parceria com o C6 Bank, apenas 21% dos brasileiros tiveram algum tipo de ensino sobre as finanças até seus 12 anos de idade.

Ou seja: cerca de um a cada cinco adultos do nosso país tiveram noções, ainda na infância, de como cuidar das finanças – mas, nem todos sabem como ‘se virar’ na crise. Afinal, a perda de emprego e renda podem ser devastadores para quem não tem um plano de ação contra imprevistos.

Por outro lado, o hábito do brasileiro vem mudando: durante a crise causada pela pandemia da covid-19, segundo pesquisa da NZN Intelligence, 80% dos entrevistados fizeram algum tipo de investimento. Ou seja, muitos entenderam que situações difíceis requerem adoção de novas ações.

Em resumo, o cuidado com o bolso deve ser uma prática corriqueira, principalmente para as nossas crianças – que podem, no futuro, se antecipar a situações como essa.

E, através de todo esse contexto, abordamos como guardar dinheiro em tempos de crise com métodos que podem ser adotados por qualquer pessoa, independentemente da sua renda.

Vamos lá?

 

Saiba tudo que entra e sai do seu orçamento

 

O primeiro – e, talvez, mais importante passo – é o controle do seu orçamento. Quando há épocas de dificuldade, todo centavo é fundamental para um planejamento a curto, médio e longo prazos. Por isso, não deixe de anotar nada que entra ou sai das suas finanças.

Isso vale até mesmo para um cafezinho que toma na rua no cotidiano. Isso impacta diretamente (como veremos mais para frente), na tomada de decisões e direcionamento dos valores para coisas que realmente devem ser priorizadas.

E, sabe o que é melhor? Quando você começa a ter esse hábito, não apenas registrar entradas e saídas do orçamento se torna cotidiano, como a prática passa a ser prazerosa – afinal, você saberá exatamente qual é o seu modelo de vida em relação ao dinheiro.

Mas, esse é um dos passos, que deve vir em sintonia com vários outros.

 

Controle financeiro através de apps

 

Mas, como fazer esse controle financeiro que falamos acima?

Simples: com uma infinidade de aplicativos, programas e sites, muitos deles gratuitos, que fazem todo o processo automatizado para você e o seu bolso. Além de ganhar em tempo, diminui a incidência de erros, como preenchimento manual nas anotações do papel ou mesmo utilização de planilhas do Excel.

Nesses aplicativos, programas e sites, você pode dividir suas finanças de maneira direta através de:

- Entradas fixas, como o salário que recebe mensalmente;

- Receitas variáveis, que englobam dividendos de investimentos, trabalhos adicionais que executa, entre outros;

- Despesas fixas, como aluguel, prestações, contas de água, luz etc.;

- Além dos gastos variados, como o supermercado do mês, opções de lazer e coisas do gênero;

A vantagem dos aplicativos de controle financeiro é que eles possuem uma divisão muito clara de categorias, que vão além do que trazemos acima. Assim, é possível avançar para a nossa próxima dica sobre como guardar dinheiro em tempos de crise.

 

Priorize acabar com suas dívidas

 

Não adianta pensar em fazer qualquer tipo de economia, se os juros das dívidas consomem todo o seu orçamento. Por isso, se possui valores a serem quitados, dê a prioridade para acabar com eles antes de guardar qualquer dinheiro.

Se necessário, encontre linhas de crédito através de empréstimos que tenham uma taxa de juros menor ou, ainda, alonguem mais os prazos em relação a sua dívida atual. Fica bem mais fácil sobrar um montante quando ele não é destinado, em grande parte, para ficar pagando o que deve, sem sair do lugar.

 

Acabe com as despesas desnecessárias

 

Lembra o que falamos do cafezinho anteriormente? Ele é realmente necessário ou pode ser substituído por uma xícara em casa, ou até mesmo erradicado? Lembre-se: épocas difíceis requerem vários sacrifícios – e, os menores, são os mais fáceis de serem feitos.

Por isso, na crise, todo e qualquer gasto desnecessário deve ser evitado ao máximo, fazendo com que você tenha mais recursos, mesmo sem ganhar um centavo adicional. Ao identificar os custos não primordiais no controle que citamos anteriormente, fica mais fácil direcionar seu dinheiro para uma reserva financeira.

 

’Pague-se’ antes de qualquer coisa

 

Uma medida essencial para uma disciplina efetiva, principalmente nas mais variadas crises, é separar um dinheiro para a reserva financeira antes de qualquer outro tipo de pagamento. Ou seja, reserve sempre parte do que ganha, assim que receber um montante, de forma prioritária até mesmo em relação às contas.

Isso ajuda a, por exemplo, encontrar mecanismos para cobrir as despesas que surgirem. Também, faz com que essa ação seja um hábito até mesmo nas melhores épocas econômicas, o que faz com que guardar dinheiro não seja uma opção, mas sim uma prioridade.

 

Encontre fontes de renda alternativas

 

O grande problema de quem não consegue guardar dinheiro é, claro, gastar mais do que ganhar. Contudo, a pessoa pode ter uma religiosa disciplina financeira, mas os custos básicos para sobreviver consomem quase a totalidade da sua renda.

A solução é buscar fontes de renda alternativas, principalmente aquelas focadas no que tratamos no artigo: guardar dinheiro. Em épocas de crise, diminuem-se as ofertas de emprego, por exemplo, mas abrem-se opções de renda extra.

Afinal, com um mercado mais maleável, empresários e clientes procuram pessoas que vendam produtos ou ofereçam serviços sob demanda. Assim, aproveitar oportunidades nos momentos difíceis é um método assertivo para guardar seu precioso dinheiro.

 

Envolva e debata com a família sobre finanças

 

Apertar o cinto na crise quando se tem uma família pode ser difícil. Contudo, isso é indispensável para que sobre um dinheiro que seja a reserva de emergência de todos. Por isso, envolver e debater as finanças com os familiares é indispensável.

Se cada um abrir mão de um pouco, pode-se gerar uma economia muito significativa. Ainda, aumenta-se a capacidade de todos terem uma educação financeira que perdurará por longos períodos, ajudando no futuro, principalmente, das novas gerações.

 

Pesquise, pesquise e pesquise

 

Outro mecanismo para guardar um bom montante durante uma crise é pesquisar. Na pandemia da covid-19, por exemplo, vimos uma explosão de preços nos supermercados, o que diminuiu (e muito) o poder de compra dos brasileiros.

A solução, obviamente, é pesquisar. Reservar um tempo para ver onde é mais barato o alimento, qual posto de combustível tem qualidade e bom preço na gasolina, aproveitar as promoções para comprar roupas e calçados, entre outras medidas, podem ajudar o seu bolso.

Isso vale, também, caso necessite de uma contratação de empréstimo, por exemplo. Opte por quem oferece condições mais solúveis e que te coloquem no controle dos pagamentos, evitando financiamentos burocráticos que poderiam ser evitados com uma pesquisa.

 

Mantenha a disciplina a qualquer custo

 

Sim. Há situações em que é difícil seguir todas as dicas que trouxemos acima para guardar dinheiro, principalmente em épocas de crise. Mas, o segredo, é sempre manter sua disciplina, mesmo que possam surgir as mais variadas dificuldades.

Lembre-se que, ao deitar-se na cama e saber que você superou mais um dia sem mexer na sua reserva financeira, isso te dará um ‘gás’ adicional para resolver qualquer problema. O importante é, dia após dia, seguir com seu planejamento e, se possível, torná-lo mais rígido até que a crise passe.

 

Outras dicas fundamentais

 

Para complementar, vamos trazer uma série de dicas fundamentais que podem te ajudar a entender como guardar dinheiro em tempos de crise. São elas:

- Coloque seu dinheiro guardado em aplicações que tenham uma boa rentabilidade, fazendo com que a ‘mágica’ dos juros compostos te ajude a ter uma reserva ainda mais pomposa – claro, sem deixar a segurança de lado;

- Converse com amigos, familiares, especialistas e não tenha medo de pedir dicas que te ajudem a ter novas ideias, hábitos e formas de guardar seu capital;

- No contexto citado acima, capacite-se sempre que possível, lendo artigos (como este), livros de educação financeira, vídeos que abordem a gestão de finanças pessoais e/ou familiares, além daqueles que são voltados aos investimentos;

- Defina metas: elas te ajudam a posicionar melhor quais ações financeiras devem ser tomadas para que, mês após mês, você possa avançar numa eficaz e contundente economia.

 

Comece tudo isso antes da crise

 

Para fechar, uma dica mais que preciosa: aplique tudo isso mesmo quando não há crise. Ou seja, em épocas de uma economia boa, com oportunidades e geração de riquezas, mercado aquecido, entre outros fatores, aproveite para ‘surfar’ nesta onda.

Assim, quando surgir outra crise – e, elas vêm e vão – você já se antecipa e não precisará passar por dificuldades que são exigidas para guardar dinheiro. Além disso, terá mais oportunidades de investimento, algo indispensável para fazer seu patrimônio crescer.

Conhecendo os principais métodos de como guardar dinheiro em tempos de crise, visite nosso site e saiba quais serviços podem te ajudar a dar uma guinada na sua vida financeira.

Precisa de dinheiro rápido? Clique aqui e peça já.