10 perguntas antes de obter sua primeira conta conjunta

mudando para um apartamento juntos

É um dos grandes marcos de cada relacionamento sério, e um que traz com ele o status adulto completo. Se você está envolvido ou vivendo com seu parceiro, há muitas razões para obter uma conta bancária conjunta. Mas não é uma decisão que você deve tomar sem pensar em alguns pontos importantes primeiro.

Aqui estão 10 coisas que você deve perguntar-se antes de decidir se uma conta conjunta é melhor opção para você:

 

1. Quão comum você quer ser?

Você não tem que compartilhar tudo. Você só pode querer configurar uma conta para cobrir suas despesas combinadas como contas, aluguel, alimentação. Você também pode ter uma segunda conta para as coisas que você está economizando  como móveis, feriados, ou um casamento. Em seguida, você pode manter tudo o resto como sua conta atual ou poupança pessoal separada por hora.

 

2. O que acontece com as poupanças ou despesas existentes?

Combinar o dinheiro que você já guardou  seria mais interessante, mas você pode não querer dividir tudo no meio. Não há nada de errado em querer manter o que você trabalhou duro. Ao mesmo tempo, é justo pedir ao seu parceiro que participe de suas despesas com as quais nunca partilharam antes? Se você está usando a assinatura Netflix, tudo bem. Mas se já estão pagando por um contrato de telefone a um preço que estão felizes, é justo pedir-lhes que paguem metade do seu?

 

3. O dinheiro pode falar e fazer sua cabeça?

Não é nenhum grande segredo que a maioria dos argumentos nos relacionamentos sempre se resumem a questões de dinheiro. Vocês dois precisam se sentir confortáveis ​​falando sobre as finanças e os gastos uns dos outros. Não faz sentido em compartilhar um extrato bancário se cada vez que chegar no assunto, acabam entrando em conflito.

 

4. Quais são as atitudes do outro em relação ao dinheiro?

Não apenas sua própria atitude, mas também a de seu parceiro. São ambos bons poupadores ou é um mais irresponsável com seu dinheiro que o outro? Isso poderia causar problemas entre você no futuro?

 

5. Como isso afetará sua avaliação de crédito?

Quando você compartilha uma conta conjunta, seu histórico de crédito é vinculado. Isso significa que se qualquer um de vocês tem crédito ruim, isso afetará o crédito de seus parceiros também. Pode ser melhor manter as coisas separadas até que ambas as pontuações de crédito parecem melhores.

 

6. Vocês dois sabem a história completa?

Antes de se comprometer com a responsabilidade financeira de uma conta compartilhada, você deve ter uma conversa sobre a situação monetária do outro (Sim, isso parece estranho no inicio). Seja totalmente honesto. Não pode haver segredos. Diga uns aos outros sobre cada despesa, dívida e todas as economias que você tem. Se alguém vai compartilhar a responsabilidade financeira com você, você precisa saber exatamente o que esperar.

 

7. Como vocês vão manter as coisas justas?

Se duas pessoas têm acesso a uma conta, o esperado é que o dinheiro seja usado igualmente. E se conseguir,  você deve depositar a mesma quantidade cada um e definir  limites iguais sobre o quanto vocês  estão autorizados a gastar.

 

8. Quem detém as rédeas das contas?

Idealmente, você deve estar compartilhando a responsabilidade de gerenciar a conta e as despesas. Mas pode acabar que uma pessoa acaba por lidar com a maior parte dela. Se isso acontecer, é importante que ambos estejam satisfeitos com isso, e não há que não haja ressentimentos em nenhum dos lados. Lembre-se, o dinheiro pertence a ambos. Isso significa que você deve ter acesso igual e saber o que está sendo gasto e onde.

 

9. O que acontece se alguém não estiver ajudando?

Pode ser através de doença, despesas com filhos ou perder um emprego, mas como você vai gerenciar se um de vocês não está ganhando? Você vai sugerir opções conjuntas para cobrir esta possibilidade ou continuar cobrindo sozinho(a) essa falta? Se isso acontecer, a outra pessoa ainda tem o mesmo direito ao dinheiro na conta conjunta ou as escalas precisam ser ajustadas?

 

... E o mais importante ...

 

10. O que acontece se você quebrar?

Dedos cruzados para que nunca aconteça, mas vocês precisam falar sobre  o pior dos casos. Que garantias cada um de vocês tem que não vão perder todo o dinheiro? Você vai dividir tudo no meio do que sobrar? O que acontece com as despesas comuns até que tudo esteja resolvido, e quem será responsável se não for pago?

 

Temos certeza que você concorda que há algumas perguntas embaraçosas que precisam ser  feitas, e não vai ser uma conversa divertida. Mas como todas as grandes decisões onde o dinheiro está envolvido, é importante todos saibam exatamente onde estão e o que eles estão começando antes de assinar qualquer coisa. É um grande compromisso, e ninguém pode prever o futuro. Mas as duas coisas mais importantes que você precisa em qualquer relacionamento são a confiança e honestidade. E quanto as finanças não é diferente.